Fim de papo. Acabou-se o tal consórcio O Dia-JB, uns três meses depois de um entusiástico regabofe de lançamento no Méli-Mélo, e uns seis meses após o Fernando Portella, d’O Dia, ter reunido os editores do jotinha e dito que a era do profissionalismo ia começar por lá, que ia ter participação nos lucros e coisa e tal…”Eu garanto!”, bateu metaforicamente no peito Portella, numa tradução digna de Jabuti da máxima “La garantia soy yo!”, muito ouvida em lojinhas miami-guaranis.

Mas isso não é tudo: ao anunciar o fim do CMI (o tal consórcio), Nelson Tanure deu aquele famoso grito de craque de pelada - “Dánimin!” - e anunciou que vai se mudar pra Rio Branco para administrar pessoalmente o ex-jornal da Condessa.

Agora vai!

Deixe um comentário