4 de julho de 2003

Do Informe Econômico:

The ight (sic) never sleeps
A Light tem um advisor para o lugar do Citigroup Global Market, ligado ao Citibank. A EDF, dona da empresa, contratou a Goldman Sachs, que não é sócio de nenhum credor.

Matéria de alto de página com esta notícia estava no Valor de ontem.

4 de julho de 2003

Compare:

Fred Suter no JC de hoje:

Dinheiro a rodo
Estudo da Câmara de Infraestrutura revela que o Governo ainda tem R$ 12 bilhões para financiamentos este ano. O BNDES, que carrega um rombo de mais de US$ 1 bilhão de dólares por conta da AES, tem outros R$ 3 bilhões no cofre e o Banco do Brasil, mais R$ 1 bi. Com as verbas das estatais como Eletrobrás e Petrobras, pode-se chegar próximo de um total de R$ 29 bilhões.

O que falta no momento são empresários de olho em grandes investimentos. Até agora, de interesse concreto, só chegou mesmo ao BNDES um pedido da R$ 1 bilhão da Volkswagen para tirar do papel o projeto do novo modelo Tupi.

Isto É Dinheiro desta semana (começou a circular na quarta), coluna Poder:

DINHEIRO SOBRANDO

Dinheiro para emprestar, tem! O que não tem é disposição do empresariado para investir, reclama o ministro Luiz Fernando Furlan, do Desenvolvimento. Cálculo da Câmara de Infra-Estrutura indica que o governo ainda tem R$ 12 bilhões para financiamentos este ano. Há outros R$ 3 bilhões do BNDES. O Banco do Brasil também teria outro R$ 1 bilhão. Com as verbas de estatais como Eletrobrás e Petrobras chega-se a R$ 29 bilhões.

Notou alguma coisa?

4 de julho de 2003

Uma última sobre o Informe do Dia, esta mais conceitual:

Culto ao banditismo
Já foi o tempo em que os estudantes cariocas pintavam a cara de verde e amarelo e iam para a rua protestar na maior serenidade. Nos protestos contra o fim do passe livre, os jovens mostraram nova e violenta faceta. Boa parte das pancadarias que aconteceram entre os próprios estudantes que foram para a porta do Fórum refletiram a rivalidade entre as facções criminosas da cidade.

Alunos de escolas em áreas dominadas pelo Comando Vermelho decidiram acertar as contas com quem imaginavam ser seus inimigos ? jovens vindos de regiões do Terceiro Comando ou dos Amigos dos Amigos. A brutalidade não se limitou a tapas e pontapés. Os professores ficaram chocados ao verem ataques com morteiros.

Os donos de ônibus devem ter adorado essa história. É óbvio que, sem um pingo de unidade, jamais os estudantes cariocas conseguirão ressuscitar o benefício cassado pela Justiça.

A maior tristeza: mais que perder o passe livre, a estudantada carioca já não tem referências. Agem como se fossem bandidos. Está aí um belo desafio para educadores e autoridades.

É, é mesmo um desafio e tanto. Mas também para toda a sociedade - jornais, rádios e tevês incluídos - não é não?

4 de julho de 2003

Outra nota vencida do Informe:

Exploradas

A CPI do Congresso sobre violência e exploração sexual de crianças começou a fazer roteiros de diligências.

São 241 as rotas usadas para o crime ? 76 no Norte, 69 no Nordeste, 35 no Sudeste, 33 no Centro-Oeste e 28 no Sul.

Saiu ontem na Tereza Cruvinel.

4 de julho de 2003

Por falar em O Dia…Do Informe de hoje:

Acomodação

O primeiro-ministro José Dirceu botou na cabeça que um novo partido terá que ser criado no Brasil.

É para hospedar mais de 20 parlamentares que estão sem pouso fixo, zanzando de um lado para o outro no Congresso.

No fim de semana, outras colunas disseram que o próprio Zé Dirceu havia repelido esta idéia. Vamos ver quem tem razão.

4 de julho de 2003

Dr. Roberto enterrou mais um. Ary Carvalho, dono de O Dia, foi prestar contas ao Criador na madrugada de hoje.

3 de julho de 2003

Sabe o moleque que está na capa da Época desta semana? É filho do diretor da revista, Aluízio Falcão.

Vai ver é mais uma maneira criativa de fazer economia…

3 de julho de 2003

Correção: o Perin chama-se Orivaldo.

Esses nomes estranhos são traiçoeiros. Bom mesmo é ter um nome simples como Ivson…

3 de julho de 2003

A matéria não está lá muito bem escrita, mas a pauta do Caderno 2 do Esatdão é muito legal: livros que toda livraria deveria ter e quase nenhuma tem. Olha aqui.

2 de julho de 2003

Agora que conseguiram o que queriam (atrasar a votação), os deputados traíras que derrubaram o parecer do relator em favor da aprovação da redação do PL-256/91 (versa sobre regionalização da programação de tevê) apresentaram, por intermédio de Roberto Magalhães, o projeto com a mesma redação que tinham recusado. Com a manobra, o PL só volta à pauta em agosto e chega ao Senado apenas em setembro.